sexta-feira, abril 14, 2006

26.Abril 2006: 20 anos sobre o acidente nuclear de Chernobyl

Em 26 de Abril de 1986, acontecem quatro explosões num dos reactores da central nuclear de Chernobyl, na Ucrânia (então parte da União Soviética).
É considerado o pior acidente nuclear da história, produzindo uma nuvem de radioactividade que atingiu a União Soviética, Europa Oriental, Escandinávia e Reino Unido.
Grandes áreas da Ucrânia, Bielorussia e Rússia foram altamente contaminadas, resultando na evacuação e reassentamento de aproximadamente 200 mil pessoas.
lançaram uma nuvem radioactiva que se espalhou por vários países da Europa, mas especialmente nas regiões que integravam na altura a URSS.
Um relatório da organização sobre o impacto do pior acidente nuclear civil da história, hoje publicado, mostra que «mais de cinco milhões de pessoas vivem hoje em áreas contaminadas com material radioactivo».
Duzentos e setenta mil habitam em zonas que as autoridades soviéticas classificaram como "estritamente controladas", com altos níveis de concentração radioactiva de césio, um metal.
A ocorrência de cancro da tiróide aumentou nos últimos anos, devido à ingestão de leite de vacas contaminadas com iodo radioactivo que se depositou nos pastos, e espera-se que a doença continue a incidir.
A OMS afirma ainda que é provável um aumento no número de mortes por cancro entre as pessoas que estiveram expostas à radiação libertada pelo acidente, e embora não seja possível determinar exactamente quantas, os peritos da organização estimam o aumento em três a quatro por cento, representando cerca de 4000 casos.
Além do cancro, cataratas e doenças cardiovasculares podem aumentar em consequência da exposição aos materiais radioactivos.
As alterações bruscas na vida de cerca de 350 mil pessoas que foram retiradas das áreas onde viviam, a perda de estabilidade económica e a falta de cuidados de saúde adequados levaram a um impacto negativo na saúde mental e bem-estar das populações.



Várias iniciativas vão acontecer para relembrar este dia em todo o mundo.
Mais info em:

Sem comentários: