domingo, maio 13, 2007

O novo Sto. António de Lisboa


«Algures entre a complexa multiculturalidade conjurada nas “sete colinas”, a IV edição do Popular Soundclash apresenta-se em 2007 como extensão natural e festiva da cena artística que vividamente reflecte a contemporaneidade lisboeta. Uma festa aberta que se reinventa em formato – o epíteto SOUNDCLASH revisto e apresentado com novo fulgor – e estende a sua duração a dois dias: dois dias de livre celebração do espaço público, da arte que nele se inspira, e da cultura urbana nas suas mais variadas formas.
No dia 11 de Junho todos os artistas participantes na edição IV do Popular Soundclash estarão presentes, numa dinner lecture com Ty. Figura maior do hip hop britânico, MC de profissão e consciência habituado a medir o peso de cada palavra que debita, Ty estará em Lisboa para partilhar a sua visão agitadora e intervencionista da música, na qualidade de militante irredutível da arte que nasce na rua, numa sessão restrita e exclusiva para participantes no Popular Soundclash IV. O miradouro de Santa Catarina – sobejamente conhecido como Adamastor – recebe esta 4ª edição do Popular Soundclash com uma disposição requalificada.
O espaço dedicado ao evento foi ampliado de forma a acolher todos os que queiram participar nesta celebração, e apresenta agora um playground de streetball – basket na sua versão mais crua, espectacular e purista, uma área para os mais novos – Babysoundclash, um espaço permanentemente monitorizado por um Clown DJ - Miss Suzie – e uma plataforma aberta de dança para todos aqueles que precisam de superfícies mais planas do que a calçada para os seus passos mais arriscados, como os grupos 12 Makakos e Butterfliesoulflow já o fazem.
No dia 12 de Junho, entre as 16h e as 02h, o Adamastor volta a baralhar a lógica de celebração dos Santos Populares e a dar voz, som e cor ao entreposto cultural lisboeta. Uma celebração composta por intervenções de arte urbana – assinadas por Mar, Vhils, Kusca e Misha – exercícios de video art e jamming visual – pela Crosseuropean Session VJs e actuações de algumas das mais interessantes propostas musicais que fixam o ethos de Lisboa. Os ritmos jamaicanos terão exposição privilegiada nos sets de Pedro Gonçalves, Mike Stellar, Lexo e dos colectivos No Agreement Soundsystem, No Joke Soundsystem, Youth Culture e Dub Weed Roots. Os Deestant Rockers propõem o cruzamento de elementos de guitarra portuguesa e de fado cantado com o techno minimal de Zentex, em contraste os subgraves generosos do dubstep, aqui representado pela Unidade Sonora e por Mushug e com os breaks da Badmood a cargo de Rita e Nsekt. As agulhas irão ainda deslizar sobre discos devedores da vasta herança musical e rítmica de África: conte-se paraiso com sets de João Gomes, DJ Lucky, Johnny e com a actuação live de Soul Crioulo.»

Sem comentários: