domingo, março 08, 2009

Discos novos na Zona 8

Milton Jackson "crash"

Em Dezembro de 2007 Milton Jackson quase desistia de produzir música, felizmente não desistiu e logo em Janeiro de 2008 começou a produzir (até Setembro) aquilo a que daria origem a "Crash".

A ideia base do disco foi voltar a música organica, mas sem esquecer os sons techy. A inspiração, diz o próprio, vem de nomes como Les Baxter quando nos anos 60/70 fazia música "exotica" e também de alguma música de ficção cientifica. tudo isto para dar "alma" ao disco e torna-lo mais fresco.
Certamente que muito se vai dançar ao som deste "Crash", um disco que foi quase todo gravado no estúdio de Jackson, um anexo nas traseiras de sua casa, o que levava a que a velhota do lado reclamasse constantemente do barulho! Milton Jackson está a bombar e sua editora Freerange a gostar do seu regresso: deep house positiva repleta de subtis motivos nocturnos, cordas cinematográficas, baixos rolantes, melodias suaves e toques techy. A referenciar a muito boa produção de todos os elementos das faixas.

>posto de escuta<



V/a "Palmistry"

Mais uma grande compilação da editora de Osunlade,a Yoruba,que nos traz os mais recentes membros da familia, assim como "velhos" conhecidos.
"Palmistry" chega aos escapartes com incursões musicais de vários estilos, do deep house ao moody techno. Logo no inicio Luis Davis recorda-nos a house dos "velhos tempos", DJ Pippi, Kiko Navarro e Tuccilo trazem um clássico para a boa disposição para o Verão, Afefe Iku traz-nos o que poderá ser mais um clássico do futuro, Ale Reis representa o lado minimal da Yoruba, Boddhi Satva mostra a sua representação de um "big theme", enquanto que Oveous Maximus (aclamado artista e poeta) traz a sua spoken word a pista de dança.
"Palmistry" é, no fundo, a visão da Yoruba daquilo que a house music é (ou deveria ser) e será.

>posto de escuta<



2000 And One "heritage"

Dylan Hermelijn é um nome bastante conhecido na cena europeia, mais concretamente na Holanda, não pelo seu nome de b.i. mas com o seu pseudonimo 2000 And One. Depois de algum tempo retirado da área techno porque, segundo o proprio, "cada vez se tornara mais e mais repetitiva", 2000 And One regressa com "Heritage", o seu primeiro longa duração de sempre e que marca os 20 anos da sua carreira como músico.
Infelizmente o disco não traz nada de novo mas é eficaz para fazer dançar os corpos na pista de dança. Nota-se que as faixas são no fundo tributos do músico á velha escola dançante de Chicago e Detroit (onde se chega mesmo a ouvir o conhecido sample "no man in the world").Momentos de mais inspiração surgem em faixas como "dat na poku", "state of the house" ou "mejiro".

>posto de escuta<


Claro Intelecto "warehouse sessions"

A série de 10 máxis "warehouse sessions", que começou em 2006, é agora compilada num só cd que traz tambem um tema novo ("w6").
O som deste disco varia de estilo ao longo das faixas: minimalista, energético, profundo, superficial, mas sempre de carácter experimental e tendo o dub como base, umas vezes house, outras techno.
A qualidade está assegurada nas 12 faixas de "warehouse sessions" onde se nota o cunho pessoal e músical de Claro Intelecto (e de certo modo da editora Modern Love). Danças que tanto podem ser verticais como horizontais, límpidas ou mais fumarentas...

>posto de escuta<

Sem comentários: