segunda-feira, fevereiro 21, 2011

The Streets e Ghostpoet, o novo som urbano do Reino Unido

The Streets "computer and blues" [679 Recordings]

Mike Skinner anuncia no site de The Streets, que este será o último disco do projecto.
Motivo? "Estou nisto há dez anos e sempre tentei fazer coisas diferentes em cada um dos discos que gravei. E neste momento, não tenho mais caminhos a percorrer", diz Skinner ao jornal inglês The Guardian. O projecto The Streets começou quando Skinner resolveu pegar na música que ouvia (essencialmente hip hop, drum'n'bass e house) e fundi-la para se juntar ao movimento, na altura, uk garage, e agora para diferenciar, grime, e fazer relatos rimados - nunca querendo ser um poeta - do quotidiano da juventude das terras de Sua Majestade.
Neste "Computer and Blues" o som não é mais, do que, o que de melhor The Streets fez nos 3 discos anteriores, continuando a relatar e a comentar as "preocupações" da juventude inglesa como o amor, as noitadas, os telemóveis ou a gripe suína.







Ghostpoet "peanut butter blues & melancholy jam" [Brownswood]

Fortíssimo álbum de estreia para Ghostpoet.
Obaro 'Ghostpoet' Ejimiwe, nascido e criado algures entre Londres, Coventry, Nigéria e Dominica, apresenta-se pela etiqueta Brownswood (de Gilles Peterson), com um disco que apresenta uma revolução muito particular e ao mesmo tempo global. Relatos pessoais , mas por onde nos vamos reconhecer num ou vários pontos, de dias e noites vividos na urbe. Uns cheios de cor, outros obscuros e psicadélicos.
Para quem gosta de referencias, Ghostpoet é uma mistura de The Streets, Massive Attack, Tricky, Gill Scott-Heron e Roots Manuva.



Sem comentários: