sexta-feira, junho 22, 2012

Discos novos na Zona 8

Jamie Jones "tracks from the crypt" (Crosstown Rebels)

O muito esperado segundo disco de Jamie Jones já está pronto.
Por entre as actuações como dj por todo o mundo (que já lhe valeram o titulo de "Melhor DJ de Deep House") e as tarefas na editora Hot Creations que partilha com Lee Foss, surge "Tracks From The Crypt" uma colecção das suas armas secretas dos últimos 5 anos e alguns temas ainda não conhecidos.
O disco conta ainda com algumas colaborações como Art Department (em "our time in liberty"), Livia Giammaria ( em "over each other"), Surveillance Party (em "city at night") ou Luca C (em "tonight at tokyo").
Certamente um dos discos que se vai falar e ouvir muito durante os próximos tempos.


 >posto de escuta<





Alex Niggemann "paranoid funk" [Pokerflat]

Disco de estreia para o germânico Alex Niggemann, que como muitos dos seus compatriotas do mundo da house music começou por debitar beats de hip hop e a usar calças largas e bonés de basebol.
Actualmente Alex produz temas de house cheios de grooves para a pista de dança, sejam eles mais profundos ou mais imediatos. "Paranoid Funk", que segue a linha editorial da Pokerflat (de Steve Bug), não é um disco que vá ultrapassar as barreiras da novidade, mas é um disco de estreia muito bem conseguido e produzido, muito também por culpa de alguns do colaboradores presentes, Daniel Solar, Florian Schirmacher, Benji e John Rydell.


>posto de escuta<





Hot Chip "in our heads" [Domino]

Já chamaram ao estilo dos Hot Chip de hipster house, talvez sim talvez não, a verdade é que cada vez que estes 5 rapazes fazem algo há sempre um grande buzz à volta disso.
O seu 4º álbum de estúdio vem recheado de temas feitos para festejar, party e mais (after) party.
As influencias vem do rock progressivo dos anos 70, dos sintetizadores dos anos 80 ou de toda a música de dança dos anos 90, ou ainda de qualquer outra coisa.
Mas por estas alturas já toda a gente fala dos Hot Chip...


>posto de escuta<






Chymera "death by misadventure" [Connaisseur]

Irlandês actualmente a viver na Alemanha, o produtor Bren Gregory (aka Chymera) fez uma viagem por caminhos menos óbvios neste sucessor do seu disco de estreia de 2005.
Ao escutar-se o requinte das faixas deste "Death By Misadventure" não se percebe que é o resultado do constante trabalho e pesquisa ao longo dos anos para trazer a perfeição para o disco. Infundindo o clássico com o chill out e a dança. Uma declaração de amor à musica. Um disco para que escuta a música com visão e intensidade. 


>posto de escuta<






 Smallpeople "salty days" [Smallville]

Disco de estreia para os patrões da editora Smallville, Just von Ahlefeld e Julius Steinhoff.
Muito mais que uma estreia, muito mais do que "apenas mais um disco" de deep house, "Salty Days" apresenta 9 grandes exemplos de música sedutora, coerente e feita para dançar, absorvendo o conhecimento dos mestres ancestrais como Larry Heard ou a "pandilha" da Nu Grooves. 
A cada tema é contada uma nova história, cada história (tema) conhece as suas raízes, o seu passado e o seu classicismo mas é feito com visões do presente e do futuro.
Um disco para ouvir na pista de dança e também no conforto do lar.  


>posto de escuta<







Taragana Pyjarama "tipped bowls" [Kompakt]

Nick Eriksen, o dinamarquês por detrás de  Taragana Pyjarama, é considerado um puto-maravilha no que diz respeito ao seu talento para fazer música electrónica. A sua música é tão refinada quanto caótica, descrita por alguns como "um conto de fadas com linhas de baixo".
O seu EP de estreia foi lançado em 2011 pela Fools House e ficou nos favoritos de gente como Michael Mayer (patrão da Kompakt) James Holden, Trentemøller ou Brodinski.
"Tipped Bowls" é um disco que nunca recua de um caminho emaranhado através dos profundos bosques escandinavos, que curiosamente parecem estar num estado de espirito tropical. Basta estar atento e vai se descobrir uma imensa vegetação em constante evolução onde os lobos uivam à Lua multicolor. Por outras palavras, um disco recheado de belas paisagens ambient e electrónica mais calma.







Vários artistas "Cocoon Compilation L" [Cocoon]

Com a chegada do tempo quente à Europa é natural que chega mais um número, ou melhor letra, da série "Cocoon Compilation". Desta vez é a letra "L" que marca a 12ª edição destas compilações da Cocoon.
Para alem de ser um showcase do som da editora neste momento, este é uma das suas melhores compilações. Por detrás das 12 faixa inéditas de "Cocoon Compilation L" estão alguns nomes bastante conhecidos na cena como é o caso de Tale Of Us & Visionquest (que fazem o delicioso tema de abertura), Rampa & Re.You, Tim Gree, Doomwork, Secret Cinema, Guy J ou Adam Port (que oferece uma faixa em espécie de electro-rock, sendo o outsider, mas mesmo assim muito bom)
O som da Cocoon em 2012 funde house progressiva com pedaços de house pura, techno minimal emotivo com pedaços de música electrónica mais estática e rude.



Sem comentários: