quinta-feira, novembro 15, 2012

Discos Novos na Zona 8

Marcellus Pittman "pieces" [Unirhythm]

Marcellus é um dj e produtor de Detroit que embora pratique uma atitude low profile, tem uma carreira e produções que muito tem a ensinar á concorrência. Tendo em conta que esteve envolvido nos projectos 3 Chairs e The Rotating Assembly é uma surpresa que Pittman não seja tão conhecido como os seus compinchas Theo Parrish e Moodymann, talvez se explique pelo facto das suas edições ao longo dos últimos 13 anos serem sempre em edições limitadas.
Agora surge "Pieces", um álbum que junta produções desde 2006 até ao presente, com temas já conhecidos e alguns inéditos. Por entre temas de house mais crus, acid e techno, Marcellus mostra toda a sua força na produção e sua forte coesão musical.


 >posto de escuta<





Sasse "third encounter" [Moodmusic]

Terceiro álbum de Klas Lindblad sob o "disfarce" de Sasse e que tráz este senhor de volta á produção analógica (agora outra vez tão na moda).
Este disco espelha os  20 e muitos anos de Sasse como dj, e que joga entre o excelente músico e compositor que é e não arriscar muito e jogar pelo seguro. Mas isto não é necessáriamente mau, constroi-se assim um disco cheio de melodias dançáveis e agradáveis e vários tributos á (boa) música electrónica da história.
Sem sombra de dúvida, Sasse sabe fazer muito melhores produções com os seus aparelhos vintage, do que grande parte da malta da música electrónica que tem ao seu dispor as mais recentes technologias. Sem querer criar o futuro este é um disco que "mostra como se faz".


>posto de escuta<





Dejan Milicevic "just keep talking girl" [Plastic City]

Nascido em 79 em Belgrado, Sérvia (na altura Jugoslávia), Dejan já anda na cena da electrónica á 17 anos.
Com este seu disco vem trazer uma lufada de ar fresco á editora Plastic City que tinha andado um pouco apagada. "Just Keep Talking Girl" é o segundo disco a solo de Dejan, o 1º surgiu no ano passado e vendeu em 5 dias todas as suas cópias em vinil. Esperem encontrar aqui o som que a editora nos habituou juntamente com as produções habituais do artista: deep e tech house e algum techno mais suave, sempre de olho na pista de dança.


>posto de escuta<





Mario Basanov "journey" [Needwant]

O produtor da lituano Marijus Adomaitis (verdadeiro nome de Mario Basanov) tem tido um ano em cheio, foi considerado no seu país natal como "Melhor Produtor" nos prémios da música M.A.M.A., fez furor na MTV balcã e os singles que tem lançado têm sido um sucesso.
Com este "Journey", Mario apresenta mais de 2 mãos cheias de temas novos e algumas versões para álbum de alguns já conhecidos, sempre no seu estilo elegante e enigmático de produção, endo como referencia a deep house e o nu disco e alguma sensibilidade pop á mistura. O disco conta com a participação vocal de Stee Downs, Jazzu, Minalga, Edwin Willimson e Athena Radford.


>posto de escuta<





Christo "patterns" [Superficially Deep]

E ao quinto lançamento o selo Superficially Deep mostra o disco de estreia do seu patrão Christo.
Em "Patterns" mostra-se todo o talento deste produtor e multi-instrumentista já considerado por alguns como um futuro mestre da house music vinda das terras de Sua Majestade. 
Um disco profundo, agradável, obscuro q.b, umas vezes contemplativo outras para fazer o corpo movimentar-se ao ritmo das batidas. Uma viagem entre Londres, Nova Iorque, Berlim, Detroit ou África.
Christo já trabalhou com nomes como Robert Owens, Charles Webster, Atjazz ou Tomoki Tamura.






DJ Jus-Ed "50ty and looking good" [Undergorund Quality]

Edward McKeithen (a.k.a. DJ Jus-Ed) sempre foi um produtor fértil, mas ultimamente tem estado ainda mais.
Este "50ty & Looking Good" é o seu segundo álbum este ano, antes lançara "Presents: Endurance" editado em cd e por duas series em vinil (no ano passado lançou mais 2: "Vision Dance" e "Left Groove", uma colaboração com a sua cara metade, Jenifa Mayanja). Como habitual o disco é lançado pela sua editora Underground Quality, mas desta vez apenas em cd (com o packing minimo)e download. Todas as faixas nunca foram antes editadas e mais uma vez a sua esposa faz as capas.


>posto de escuta<





No Regular Play "endangered Species" [Wolf + Lamb]

Ultimamente muito se tem falado da crew da Wolf + Lamb, não só pelos seus mentores, mas também pelas suas festas e muito mais pelas suas mais recentes edições discográficas (este ano já com discos novos de Wolf + Lamb e Deniz Kurtel). Mais uma acha para a fogueira é o disco de estreia dos No Regular Play (Greg Paulus e Nick DeBruyn).
Os 2 músicos, com um grande background musical e com treino clássico, criaram em "Endangered Species" uma sonoridade que faz a fusão entre os beats de J Dilla, jazz, soul, r'n'b, deep house (e também um cheirinho a techno) e a atmosfera do Harlem dos anos 60.
E é disso mesmo que se regem os No Regular Play.



>posto de escuta<





Lauer "phillips" [Running Back]

Este é um dos discos mais bem dispostos e kitsch do momento.
Lauer é uma das metades de Arto Mwambe e Tuff City Kids, e neste disco (de estreia), e nas 12 faixas que o compõem, o ambiente musical faz lembrar Christopher Cross, Michael McDonald, Doobie Brothers ou Jan Hammer (e a banda sonora da seríe Miami Vice), mas não fujam já ! Isto, neste caso, é muito bom sinal, vamos encontrar música suave e de muito boa vibração, no caso de Lauer feita com muita modernidade e que também bebe de fontes como 808 State, Larry Heard, Tiger & Woods ou Todd Terje.
Resistir ao apelo feito por Lauer é quase impossível, o melhor mesmo é fechar os olhos e dançar mais um pouco na pista de dança.


>posto de escuta<





V/a "Above The City 002" [Culprit]

A Culprit é uma editora de Los Angeles dirigida pelo colectivo Droog que além de conhecida pelas suas edições discográficas o é também pelas festas regulares no topo do hotel The Standard.
"Above The City 002" segue os passos do 1º volume, e faz uma amostra do som da editora e principalmente das suas festas, com 8 novas faixas. evitando o quanto possível os nomes associados á editora, nesta compilação fazem-se ouvir nomes como Tom Budden, Coat Of Arms ou Alex Nagshineh.
Continua por aqui a dominar o som deep house mais solarengo e caloroso daquela que é actualmente uma das mais interssantes editoras norte-americanas.

>posto de escuta<

Sem comentários: