sábado, agosto 17, 2013

Discos para descobrir, comprar, explorar e dançar este Verão [parte 2]

 Steven Tang "disconnect to connect" [Smallville]

Este habitante de Chicago gosta de passar despercebido, mas com esta brilhante estreia em formato de longa-duração vai ser difícil. "Disconnect to Connect" é uma muito boa colecção de faixas para as pistas de dança sofisticadas e informadas.
Este é o testemunho perfeito daquilo que Steven Tang fez, e continua a saber fazer, ao longo da sua longa carreira como músico.
 

>posto de escuta<






Anton Zap "water" [Apollo]
Com lançamentos para editoras como Deep Explorer, Underground Quality, Quintessentials, ou a sua Ethereal Sound, o russo Anton Zap é conhecido por navegar nas águas mais calmas do deep house. Neste longa duração "aventura-se" também por rotas deep/ambient techno, no que poderia ser uma renovação de pioneiros como Pete Namlook, Biosphere ou Jonah Sharp. A não esquecer o deep house profundo que vai beber a Fred P, Patrice Scott ou Keith Worthy.


>posto de escuta<






Floorplan "paradise" [M-Plant]

É o regresso de Robert Hood, que já fez parte do colectivo Underground Resistance, ao seu projecto Floorplan.
Neste "Paradise" vão encontrar o paraíso musical para pistas de dança underground com faixas de house e techno recheadas de tensão, ritmos fortes e galopantes, loops em repetição insistente, com micro alterações durante as longas faixas. Embora não seja um disco inovador, é essencialmente eficaz. Floorplan em forma desde a sua estreia em 1996.


>posto de escuta<






Kölsch "1977" [Kompakt]
Neste "1977" o dinamarquês Rune Reilley Kölsch juntou alguns temas seus já lançados para a editora alemã Kompakt com alguns criados em especial para este LP.
São temas enraizadas na alta energia que define a música nos clubes nocturnos, house e techno clássicos filtrados com as memórias de infância de Kölsch.


>posto de escuta<







Kon "on my way" [BBE]

Sob o nome de Kon, o norte-americano Christian Taylor iniciou a sua colecção de discos em 1976, a sua carreira de dj começou em 1985, começou a rodar discos em clubs em 1991, e em foi apelidado por Gilles Peterson como “Edit/rework King of 2011”.
Este "On My Way" é o disco de estreia deste divulgador de música cheia de funk e soul, um disco de influências do funk dos 70, soul dos 80 e deep house dos 00. Vale apena escutar com atenção "On My Way" que conta com colaborações de Ben Westbeech, George Levin, Induce ou Yuki Kanesaka.


>posto de escuta<








 Black Jazz Consortium "codes and metaphors" [Soul People]

O mestre Fred Peterkin, a.k.a. Fred P. aqui como Black Jazz Consortium, a demostrar que ainda é... mestre. Será preciso dizer mais ? Não, mas vou fazê-lo. "Codes and Metaphors" traz directamente de Nova Iorque, a deep house no seu melhor estilo, com colaborações de Minako, Melana Perez, Daniki9, Lady Blaktronica e Christina Wheeler.


>posto de escuta<

Sem comentários: